Sejam Todos Muito Bem Vindos!!!! :)

quinta-feira, 16 de novembro de 2017



" Não gostei, adorei!", responderam, sem hesitar, alguns alunos quando lhes foi pedido um comentário à sessão de contos, que teve lugar no dia 10 de novembro na nossa Biblioteca Escolar. A convidada e protagonista foi a contadora Antonella Gilardi, da Associação Partilha Narrativa. 

A sessão, promovida pela Câmara Municipal da Amadora, proporcionou animação a três turmas, no âmbito de um projeto de contadores, com vista à promoção da leitura e dos livros.

Antonella trouxe e partilhou uma mão cheia de histórias, bem contadas.

A hora passou a voar!

Obrigada Antonella!







sábado, 11 de novembro de 2017

São Martinho




Como é habitual, todos os anos assinalamos o Dia de S. Martinho na escola. Para além do tradicional magusto, todas as turmas realizaram atividades tendo em conta as suas competências.

Procurou-se explorar a lenda de São Martinho partindo de rimas, provérbios, bandas desenhadas e recontos, tendo-se realizado, também, muitos trabalhos de expressão plástica.

Todas as turmas/grupos construíram uma Maria Castanha, que foi exposta num painel à entrada da escola. 

Todos estão de parabéns pela originalidade e criatividade impressas em cada um dos trabalhos realizados!




São Martinho é sinónimo de CASTANHAS!!!!

A castanha é um fruto que nasce de uma árvore: o castanheiro. Um conjunto de castanheiros chama-se souto.

É no norte de Portugal que os castanheiros se dão melhor, e é de lá que vêm as castanhas que se vendem em todo o país.

A castanha está na árvore protegida por uma bola cheia de picos que se chama “ouriço”. Quando chega o outono, o ouriço abre e deixa cair a castanha no chão.

Antes da batata chegar à Europa e de se espalhar por todo o lado (séc. XVII), a castanha era a base de alimentação, especialmente nas zonas rurais.

Pode cozer-se, assar-se, fazer-se puré, fazer-se sopa com ela, doce, pratos de carne, peixe, etc.



Na nossa escola comemorou-se Halloween...




Durante a semana passada festejámos o “Halloween” na nossa escola, com a nossa professora de inglês.

A escola estava toda decorada, muito “assustadora”.









Ouvimos uma estória muito engraçada sobre o dia das bruxas e fizemos um pequeno desfile. Também houve tempo para fazermos um jogo muito engraçado, o qual consistia em colarmos a cauda de um gato preto num cartaz.





No final vimos um vídeo e aprendemos uma canção sobre uma festa de Halloween.

Estas atividades foram muito divertidas e também serviram para aprendermos novas palavras sobre esta festividade anglo/americana.

Agora em inglês…

During last week we celebrated, in our school “Halloween”, with our teacher of English.

Our school was all decorated, it looked really spooky.


We listened to a funny story about this day and we did a Halloween parade. There was also time to play a funny game: we had to fix in a poster the cat’s tail.

At the end we watched a video and we learned a song about a Halloween party.


These activities were really funny and they were useful because we learned new words about this British/American festivity. 


Também os alunos da Unidade de Ensino Estruturado deram o seu contributo para tornar a nossa escola alegremente apavorante, decorando a porta da sala com aranhas muito engraçadas.




Alguns alunos vieram, ainda, caracterizados e passaram o dia a pregar partidas aterradoras aos seus colegas!!







sexta-feira, 3 de novembro de 2017

O feriado de 1 de novembro...



Em Portugal, temos uma tradição muito semelhante ao Dia das Bruxas ou Halloween, no qual as crianças batem às portas pedindo doçuras ou travessuras (trick or treat). 

Em algumas localidades portuguesas, no dia 1 de novembro, Dia de Todos-os-Santos, as crianças saem à rua e juntam-se em pequenos bandos para pedir o Pão por Deus  (ou o bolinho) de porta em porta.

O dia de Pão por Deus era o dia em que antigamente se oferecia pão, bolos, vinho e outros alimentos aos mortos, de forma a pedir pela sua alma.

No dia 1 de novembro, as crianças (e também adultos, embora poucos) que participavam/participam nos peditórios representavam/representam as almas dos mortos que «nesse dia erram pelo mundo», tendo sido essa a origem deste ritual cristão.

Sacos do Pão por Deus


Fazer sacos do Pão por Deus é uma tradição associada à própria tradição. Normalmente estes sacos são feitos de tecido e as crianças podem decorá-los ao seu próprio gosto.

Versos de Pão por Deus

Quando pedem o Pão por Deus, as crianças recitam versos e recebem como oferenda pão, broas, bolos, romãs e frutos secos, nozes, tremoços, amêndoas ou castanhas, que colocam dentro dos seus sacos de pano, de retalhos ou de borlas.

São vários os versos para pedir o Pão por Deus:

Ó tia, dá Pão-por-Deus?
Se o não tem Dê-lho Deus!

Ou então:

Pão por Deus,
Fiel de Deus,
Bolinho no saco,
Andai com Deus.

Em algumas povoações da Zona Centro e Estremadura chama-se a este dia o ‘Dia dos Bolinhos’ ou ‘Dia do Bolinho’. Os bolinhos típicos são especialmente confecionados para este dia, sendo feitos com base de farinha e erva-doce com mel (noutros locais leva batata doce e abóbora) e frutos secos como passas e nozes. São chamados “Santorinhos”. É também costume em algumas regiões os padrinhos oferecerem um Santorinho aos seus afilhados.

Receita do Bolo Santoro



Ingredientes:

1kg de batata cozida.
1kg de farinha.
4 ovos.
750 gramas de açúcar.
150 gramas de manteiga.
Canela.
Fermento.
Frutos secos.
Erva-doce.

Preparação:

É só misturar, fazer pequenas bolinhas, colocar no forno e quando estiver cozido e ligeiramente tostado, está pronto.

Exemplos de Pão de Deus pelo país:


Em Barqueiros, concelho de Mesão Frio, à meia-noite do dia 1 para 2 de novembro, arranjava-se uma mesa com castanhas para os parentes já falecidos comerem durante a noite, “não devendo depois ninguém tocar nessa comida, porque ela ficava babada dos mortos”.

Na aldeia de Vila Nova de Monsarros, as crianças faziam os “santórios”, recebiam fruta e bolos e cada criança transportava uma abóbora oca com figura de cara, com uma vela dentro.

“Em Roriz não se chama Pão por Deus, nem bolinhos, nem santoros a comezaina que se dá aos rapazes no dia de Todos os Santos ou de Finados. O que os rapazes vão pedir por portas, segundo lá dizem, é — os fíeis de Deus.”

Nos Açores dão-se “caspiadas” às crianças durante o peditório, bolos com o formato do topo de uma caveira, claramente um manjar ritual do culto dos mortos.

Esta atividade é também realizada nos arredores de Lisboa. Antigamente relembrava a algumas pessoas o que aconteceu no dia 1 de novembro de 1755, aquando do terramoto de Lisboa, em que as pessoas que viram todos os seus bens serem destruídos na catástrofe, tiveram que pedir “pão-por-deus” nas localidades vizinhas que não tinham sofrido danos.

Com o passar do tempo, o Pão por Deus sofreu algumas alterações, e os meninos que batem de porta em porta podem receber dinheiro, rebuçados ou chocolates.

Informação retirada do site pumpkin.pt

domingo, 29 de outubro de 2017

29 de outubro - Dia do Gato



No dia 29 de outubro, comemora-se o dia do gato e a nossa escola não poderia, é claro, deixar passar esta data em branco! Os gatos são os felinos mais fofos e dóceis que existem, sendo um dos animais de estimação mais populares do mundo. São animais fascinantes! Eles são misteriosos, inteligentes e têm capacidades incríveis!

Sabias que na nossa escola já viveu um gato?? É verdade! No ano de 2001 uma menina do 1º ano, chamada Adriana, num dia frio e chuvoso, ia a caminho da escola quando encontrou sozinho e a tremelicar de frio um gatinho preto, ainda bebé. Ao ver a situação do bichinho a menina comoveu-se e resolveu levá-lo para a escola. A turma logo o recebeu com enorme alegria, tendo-lhe dado o nome de Billy (por causa de uns desenhos animados que na altura davam na televisão onde havia um menino que à noite se transformava num gato – fruto de um castigo que lhe tinha sido dado, por ser tão mau com estes seres vivos –. O menino chamava-se Billy the Cat, e depois de se aperceber como era difícil a vida de um gato na rua, passou a tratá-los com o maior dos respeitos). Mas voltando ainda ao nosso Billy, o gatinho preto cresceu e esteve com a turma até ao final desse ano letivo. Por altura das férias a professora levou-o para sua casa, para não ficar sozinho na escola, e de vez em quando, depois das aulas terem recomeçado, levava-o para a escola para grande contentamento de todos!

Agora deixamos-te, aqui, algumas informações sobre estes encantadores animais, para que possas aprender um pouquinho mais sobre eles 😊


História do Gato Doméstico
Segundo biólogos e historiadores, a história do gato doméstico remonta à AntiguidadeEsses felinos têm acompanhado os humanos há tanto tempo que é possível afirmar que a sua história, em certos pontos, chega a  confundir-se com a própria história da humanidade.

Evolução
Miacis, o mais antigo ancestral dos gatos conhecido atualmente.

Os gatos domésticos atuais são uma adaptação evolutiva dos gatos selvagens africanos o que faz com que estes possuam diversas características em comum com os grandes felinos selvagens, como o hábito de caminhar silenciosamente usando suas almofadas plantares, as avançadas técnicas de caça e a presença de unhas retráteis. No entanto, cruzamentos entre diferentes espécimes tornaram-os menores e menos agressivos para com os humanos, atendendo assim ao objetivo de se criar um animal de pequeno porte, capaz de caçar roedores e viver nas mesmas habitações dos seres humanos.

Dinictis: um dos primeiros felinos.

O seu mais antigo ancestral conhecido é o Miacis, um mamífero que viveu há cerca de 40 milhões de anos, e possuía o hábito de caminhar sobre os galhos das árvores. A evolução desse animal deu origem ao Dinictis, animal que já possuía a maior parte das características presentes nos felinos atuais.
A subfamília Felinae, que agrupa os gatos domésticos, surgiu há cerca de 12 milhões de anos, expandindo-se a partir da África até alcançar as terras onde atualmente está o Egipto. Inclusive, foram os egípcios o primeiro povo a adotar os gatos como animais de trabalho e estimação. Os gatos de estimação são muito mais sensíveis do que os gatos bravos, pois foram habituados a viver na casa das pessoas. As doenças mais usuais nos gatos domésticos são as doenças de coração, de pulmões, de estômago e de rins. Quando doentes precisam de uma alimentação específica recomendada pelo veterinário, caso contrário podem morrer passados poucos meses ou poucos anos.

Os gatos na história

Quando as populações deixaram de ser nómadas, a vida do ser humano passou a depender substancialmente da agricultura. Foi nesse momento que os gatos vieram a fazer parte do quotidiano das pessoas. Por possuir um forte instinto caçador, esses animais exerciam uma importante função na sociedade: acabar com os ratos que invadiam os silos de cereais e outros lugares onde eram armazenados os alimentos.

Uma estatueta de um gato, feita no Egipto, representando a deusa Bastet.

Registos encontrados no Egipto, como gravuras, pinturas e estátuas de gatos, indicam que a relação desse animal com os humanos teve início há cerca de 9.500 anos. Elementos encontrados em escavações indicam que, nessa época, os gatos eram venerados e considerados animais sagrados. Bastet (Bast ou Fastet), a deusa da fertilidade e da felicidade, considerada benfeitora e protetora da humanidade, era representada como uma mulher com cabeça de gato e frequentemente figurava acompanhada de vários outros gatos em seu entorno.
Na verdade, o amor dos egípcios por esse animal era tão intenso, que havia leis a proibir que os gatos fossem "exportados". Qualquer viajante que fosse apanhado a traficar um gato era punido com a morte. Quem matasse um gato era punido da mesma forma, e, em caso de morte natural do animal, os seus donos deveriam usar trajes de luto.
Contudo, não tardou para que alguns animais fossem clandestinamente transportados para outros territórios, fazendo com que os gatos acabassem  por aumentar a sua área de abrangência. Ao chegarem à Pérsia antiga, também passaram a ser venerados. Lá havia a crença de que quando se maltratava um gato preto, corria-se o risco de se estar a maltratar um espírito amigo, criado especialmente para fazer companhia ao ser humano durante sua passagem na terra. Desse modo, ao prejudicar um gato, a pessoa estaria a   atingir-se a si mesma.
Devido ao facto de serem exímios caçadores e auxiliarem no controle de pragas, por muitos séculos, os gatos tiveram uma posição privilegiada na Europa Cristã. Porém, no início da Idade Média, a situação mudou: gatos foram acusados de estarem associados a maus espíritos e, por isso, muitas vezes foram queimados juntamente com pessoas acusadas de bruxaria. Até hoje ainda existe a ideia de que as  bruxas possuem um gato preto de estimação, sendo esse animal associado aos mais diversos tipos de sortilégios. É muito comum ouvir histórias de sorte e azar associadas aos animais dessa cor.
Com o fim da inquisição, o gato foi novamente aceite nas moradias e nos navios, assumindo novamente a função de caçadores de roedores. Com o passar do tempo os gatos passaram a ser considerados animais finos, ganhando uma boa posição do ponto de vista social. Eram inclusive utilizados como acessórios em eventos sociais pelas damas. Nessa época o gato começou a ser modificado para exposições, começando assim a criação de raças puras, com pedigree. Uma das primeiras raças criadas para essa finalidade foi a persa, que ficou conhecida após a sua introdução no continente europeu, realizada pelo viajante italiano Pietro Della Valle. 

Winston Churchill afaga um gato que habita um navio militar

A primeira grande exposição de gatos aconteceu em 1871, em Londres. A partir desse momento, o interesse em se expor gatos desenvolvidos dentro de certos padrões propagou-se por toda a Europa.
Atualmente, os gatos são uma das mascotes mais populares em todo o mundo, servindo às pessoas como um bom animal de companhia,  continuando, também, a ser utilizados por agricultores e navegadores de diversos países, como um meio barato de se controlar a população de determinados roedores. Devido ao fato da sua domesticação ser relativamente recente, eles conseguem facilmente converter-se à vida selvagem, passando a viver em ambientes silvestres, onde formam pequenas colónias e caçam em conjunto.

Atualmente os gatos são muito utilizados na prevenção de roedores nas áreas agrícolas

(Informação retirada da Wikipédia)

15 curiosidades sobre gatos

1 - Um gato tem 32 músculos para controlar cada orelha, enquanto um humano tem apenas seis. 
2 - Um gato chamado Stubbs foi presidente da câmara por 15 anos em Talkeetna, uma pequena cidade do Alasca (EUA).
3 – Os gatos não sentem sabores doces.
4 - Em média, os gatos dormem 70% de suas vidas.
5 – O maior gato do mundo mede 1,23 metros.
6 – O gato mais pequeno do mundo tem apenas 7 centímetros.
7 - Os gatos têm três pálpebras.
8 - A remoção das garras é uma prática proibida em pelo menos 22 países.
9 - O grau de semelhança entre o cérebro de um gato e o de um humano é de 90%.
10 - Se o gato deixar as fezes descobertas é um sinal de afronta, de que não tem medo de ti.
11 - Quando um gato se esfrega numa pessoa não indica apenas que gosta da mesma, mas também que quer marcar território.
12 - Os gatos têm 230 ossos em todo o corpo, enquanto os humanos têm apenas 206.
13 - Cada focinho de gato tem um formato único, como as impressões digitais humanas
14 - O corpo de um gato está coberto por aproximadamente 130 mil pelos por cm. 
15 - Os corações dos gatos batem de 110 a 140 vezes, cerca de duas vezes mais que os corações dos humanos.
Esperamos que tenhas gostado e que tenhas aprendido um pouco mais sobre estes nossos amiguinhos! E, não te esqueças…


TRATAR BEM DOS ANIMAIS, MAIS DO QUE UMA OBRIGAÇÃO, É UM DEVER DE TODOS NÓS!

terça-feira, 24 de outubro de 2017

História da Semana... A Galinha Tonta



Os alunos da sala 1 do JI trabalharam com a educadora Paula a história: A Galinha Tonta, apresentada na biblioteca escolar pela professora Maria.


Quem quer dizer o quanto estão lindas as suas pinturas?


História da Semana... Azul e Bertie



Azul e Bertie, de Kristyna Litten, é uma história sobre girafas que se tornam amigas, apesar de uma delas ser azul. Juntas descobrem flores fantásticas e caminhos raros. E Bertie reencontra a sua manada, conduzida pela Azul.

Foi a nossa primeira história na Biblioteca Escolar, este ano letivo. Os alunos deliciaram-se com o conto e gostaram muito das ilustrações. 

Adorei partilhar e contar a história.

E porque ler nos  dá um passaporte para muitas aprendizagens, este conto foi o primeiro de muitos outros que vamos ter na nossa BE Condes da Lousã. 

Maria Marmeleira

Professora Bibliotecária

Dia Mundial da Alimentação




No âmbito das comemorações do Dia Mundial da Alimentação, também os alunos da Unidade de Ensino Estruturado da EB1/JI Condes da Lousã fizeram uma salada de fruta, para assinalar esta data com um lanche saudável!

Deliciem-se!!!
















domingo, 22 de outubro de 2017

Semana da Alimentação



Os meninos do Jardim de Infância da sala 2 comemoraram a “Semana da Alimentação” com várias atividades:

- Exploraram livros, histórias e canções…

- Realizaram pinturas e colagens …

- Com fruta, fizeram sumo - estava uma delícia!

-Todos trouxeram uma peça de fruta para o lanche da manhã…

Foi uma semana de grande dinamismo, tendo as crianças participado com entusiasmo e empenho nas atividades que lhes foram sendo propostas, e que serviram para despertar nas mesmas os benefícios de …

Uma Boa Alimentação!

Aqui fica o registo de algumas das tarefas por nós realizadas!

Esperamos que gostem!